C
aracterísticas e produção de porcelana

A porcelana é um produto branco impermeável e translúcido. Ela se distingue de outros produtos cerâmicos, especialmente, da faiança e da louça, pela sua vitrificação, transparência, resistência, completa isenção de porosidade e sonoridade.

Basicamente a matéria prima da porcelana são: argila, quartzo, caulim (caulim é um minério composto de silicatos hidratados de alumínio, como a caulinita e a haloisita, e apresenta características especiais que permitem sua utilização no fabrico de papel, cerâmica, tintas, etc.) e feldspato. Estes materiais são encontrados em minas, cuidadosamente lavados e purificados.

O processo de fabricação da porcelana divide-se em 5 etapas:

- Modelagem

É a criação de um molde de gesso, para tornear uma peça.

- Massa

Área estritamente técnica. Funciona sob supervisão direta de laboratório.

Composição da Massa:
Argila - 10%
Caulim - 40%
Feldspato - 25%
Quartzo 25%

Existem dois tipos de massa:

- Pastosa

É utilizada em peças estampadas a torno. Depois de misturada, a massa é peneirada, em seguida é colocada em filtroprensas (equipamento de filtragem da água sob pressão), que tem por finalidade retirar o excesso de água deixando aproximadamente 25% de umidade. A massa prensada é retirada e acondicionada em depósitos de envelhecimento, para sua conservação até a etapa subseqüente de vácuo, que transforma a massa em uma mistura homogênea e sem ar. Neste momento, atinge maior grau de plasticidade, podendo ser torneada.

- Líquida

Trata-se da mesma massa, porém diluída. Contém aproximadamente 30% de água.

FABRICAÇÃO

Peças estampadas a torno: redondas

- Automático

Responsável por 90% deste processo, sendo utilizado para produzir pratos, pires, xícaras, tigelas e saladeiras pequenas.

- Manual

Para as peças de maior dimensão, como: saladeiras grandes, prato de arroz e prato de bolo.

Peças estampadas a líquido: ocas, ovais e retangulares. Este processo também é chamado de colagem. Consiste em encher formas de gesso com a massa líquida. Após decorrido o tempo necessário para formação das paredes na espessura desejada (absorção da água pelo gesso), o excesso de massa é despejado. Os cabos e alças passam pelo mesmo processo e são colados manualmente.

As peças obtidas pôr colagem são: bules, leiteiras, cafeteiras, sopeiras, manteigueiras, açucareiros, travessas, etc. Após a secagem todas as peças são esponjadas para corrigir eventuais imperfeições.

QUEIMA

Depois de secas as peças sofrem a primeira queima, denominada biscoito, a 900º C, cujo objetivo é dar às peças resistências e porosidade para a perfeita absorção do verniz. Nesta etapa as peças adquirem um tom rosado.

O verniz é composto pelos mesmos materiais da massa, em quantidades diferentes.

Através de um processo manual de imersão, o verniz adere à superfície da peça, formando uma película de cobertura. Após a aplicação do verniz ocorre uma segunda queima, que é realizada a uma temperatura que varia entre 1380º C a 1400º C.

Nesta fase a massa torna-se completamente compacta, totalmente sem porosidade, adquirindo cor branca e vitrificada (fusão do verniz sobre a massa). Esta segunda queima dura em média 31 horas, podendo chegar até 89 horas, dependendo da extensão do forno utilizado.

As peças já prontas são encaminhadas para o setor de classificação, que controla a qualidade do produto, que então é lixado e pronto para ser decorado.

DECORAÇÃO

A decoração da porcelana é feita de duas formas: com a aplicação de decalques e a de filetes. Algumas peças recebem os dois processos em uma mesma operação.

Os decalques são adesivos que são aplicados nas peças com o máximo de cuidado. Após ser colocado na posição correta, passa-se uma borracha para fixá-lo.

Os filetes são aplicados com dois tipos de pincéis: a trincha (pincel largo e sem ponta) e o pincel fino (de ponta fina e delicada). As peças são colocadas em um torno para que possam girar livremente, assim a mão do filetador pode ficar apoiada e fixa evitando falha no filete.

Após a decoração, as peças passam pelo controle de qualidade e a seguir sofrem a segunda queima para fixação do decalque e / ou filete.

Atualmente em algumas decorações e filete já está no decalque (adesivo), reduzindo assim o processo em apenas uma queima.

Após as queimas a porcelana é lixada para retirar algum resíduo do decalque. Após esta operação a mercadoria já pode ser embalada e comercializada.

TIPOS DE QUEIMA

O processo de aplicação do decalque na porcelana pode ter dois tipos de queima: uma chamada "sobre esmalte", onde a peça é levada ao forno numa temperatura de aproximadamente 800º C.

O outro tipo, que é uma tecnologia chamada "fogo forte", ou seja, a peça a uma temperatura de aproximadamente 1200º C, sendo que com este tipo de queima o decalque se funde com o esmalte que a porcelana tem na superfície, garantindo que a decoração nunca sofra desgaste.

fonte: Porcelana Schmidt S/A

legenda: para conhecer as convenções adotadas neste site para datação e identificação de marcas, e do tipo de produto de cada fábrica, consulte esta página, ou posicione o apontador do mouse sobre as letras dentro dos círculos ou quadrados, que a explicação aparecerá.

ATENÇÃO: Este site é o resultado de uma pesquisa pessoal sobre a história da indústria de louça no Brasil, não sou fabricante nem comerciante de porcelana, não tenho ligação ou contatos com nenhuma das marcas apresentadas, ou com qualquer outra indústria cerâmica. Este site tem por objetivo auxiliar na identificação de peças de louça brasileira. Entretanto, é importante observar que as informações aqui presentes, embora resultado de uma exaustiva e extensiva pesquisa de mais de quatro anos, devem ser usadas com responsabilidade e cuidado, uma vez que nem mesmo os fabricantes tiveram a preocupação em manter um registro histórico das marcas e padrões de decoração por eles usados. O autor não assume qualquer responsabilidade por eventuais danos, perdas ou prejuízos a pessoas, empresas ou bens, originados no uso deste site.

                                                   voltar ao topo da página                                                        

© Fábio Carvalho, para o site Porcelana Brasil - v. 2.0 - ANO 13 - 2005 / 2017
Todos os direitos reservados e protegidos pela Lei 9.610 de 19/02/1998.
É proibida a reprodução de todo o conteúdo (textos e/ou fotos) publicado neste site, mesmo que seja citada a fonte. Nenhuma parte ou a íntegra dos textos e fotos deste site, sem autorização prévia por escrito do autor, poderá ser reproduzida ou transmitida sejam quais forem os meios empregados: eletrônicos, digitais, mecânicos, fotográficos, reprográficos, gravação ou quaisquer outros existentes ou que venham a existir.


clique aqui para voltar à página principal



DHTML JavaScript Menu By Milonic.com

versão // version  2006.03   |  site desenvolvido por // site by neXt digital design